Banner

Guia On-line


Guia Patrocinados

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

A Revolta do Ribeirãozinho e a volta da Monarquia

PDFImprimirE-mail

Jose Domingos da Silva No início do século XX, várias pessoas em São Paulo começaram a se organizar para depor a República e restaurar a Monarquia no Brasil, com a coroação do príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança. Muitas reuniões foram feitas para deliberar a respeito deste movimento. Em Taquaritinga, à época ainda chamada de Ribeirãozinho, não foi diferente.

Foi aprazado entre os monarquistas que a data do levante seria 23 de agosto de 1902, quando era presidente Campos Salles. Em Ribeirãozinho, os líderes da campanha foram Joaquim Matheus Côrrea, Pedro Paulo Côrrea, Leonardo Botelho, Thomaz Sebastião de Mendonça, João de Toledo Lara, coronel João Ferreira de Castilho, Dr. Augusto de Castilho, Dr. Eulógio de Matos Pitombo, coronel Gustavo Augusto de Moraes, José Ferreira Leite, Alberto Costa Osório de Souza e Avelino de Negreiros, dentre outros.

 Às três horas da manhã do dia combinado, esses homens cercaram a cidade e proclamaram a Monarquia. Tomaram de assalto a delegacia, depondo o delegado Virgílio Nogueira, deixando Thomaz Mendonça como interino. Avelino Nogueira tomou a estação ferroviária e disparou mensagens de telégrafo para diversos locais, comunicando que o regime monárquico havia sido restaurado em Ribeirãozinho. O plano dos rebeldes era aguardar os avisos do comando central na capital para que chegassem em São Paulo a tempo de participar do jantar comemorativo que seria feito na sede do Governo, em homenagem ao Imperador empossado. Dia 02 de agosto de 1902 foi um dia de grande festa em nosso município.

Até o dia seguinte, no entanto, não veio qualquer aviso da queda de Campos Salles. Isso preocupou a todos. Duzentos homens de Ribeirãozinho estavam armados esperando ordens para descer para Araraquara e de lá partir para São Paulo. Mas, ao contrário do que esperavam, o que chegou foi um telegrama, que avisava que o Governo Republicano não tinha aceitado a notícia da Revolta do Ribeirãozinho e havia preparado uma ação de contenção. No comunicado, estava escrito: “Não venham mais. Revolta fracassou. Segue trem especial 400 praças”. Foi quando ficaram sabendo que apenas em Ribeirãozinho e no município de Espírito Santo do Pinhal é que o levante foi levado à cabo.

A restauração da Monarquia em nossa cidade durou um dia e o fato entrou para a História como a Revolta do Ribeirãozinho.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Faculdades

ITES
O Instituto Taquaritinguense de Ensino Superior “Dr. Aristides de Carvalho Schlobach” – ITES, situado no Municí...
FATEC
Localizada numa das mais privilegiadas regiões do estado, a Fatec Taquaritinga foi criada em 1° de julho de 1992, to...
Faculdade Santa Giulia
A Faculdade Santa Giulia foi fundada em dezembro de 2002, mediante autorização do Ministério da Educação (MEC), ofe...

História

Fundação
O nome Taquaritinga tem origem no tupi-guarani e significa “taquara branca e delgada”, tipo de vegetação comum n...
Os 300 da Revolução de 32
 O presidente Washington Luís, tido por paulista, apoiou, em 1930, como seu sucessor um conterrâneo, Júlio Prestes. ...
Prefeitos
José Camilo de Camargo - Período: 7 de Janeiro de 1893 a 11 de Janeiro de 1896 Manuel Rodrigues Estrela - Período: 1...

Gerais

Seis anos de Lei de Acesso à Informação e o terceiro setor
Seis anos de Lei de Acesso à Informa...
Artigos Paiva Netto LBV
Artigos Paiva Netto LBV ...
DENGUE ESTA LUTA É DE TODOS NÓS! FAÇA SUA PARTE!
O Departamento Municipal de Controle de ...